Manual sobre Marketing de Conteúdo: aprenda o que realmente interessa!

Gabriel Motta
Gabriel Motta - 3 de maio de 2017
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+

Se a sua empresa não está presente nas mídias digitais, não procura marcar presença online e nem criar estratégias de marketing a serem trabalhadas diretamente com os consumidores, é preciso mudar agora mesmo! Na era digital, investir em outbound marketing já não é o bastante. Mesmo que muitos empreendedores ainda recorram a essa maneira tradicional, utilizando outdoors, jornais e revistas, mídia impressa, rádio e TV — ou seja, meios de comunicação em massa.

Pode até ser que isso dê algum retorno, mas não seria incrível que você pudesse encontrar um meio 3x mais eficiente e com um preço até 62% mais barato? Graças ao Marketing de Conteúdo, isso é possível. Para lhe ajudar a iniciar a sua jornada com o marketing digital, elaboramos este manual completo sobre essa estratégia, que tem impulsionado mais empresas rumo ao sucesso.

O que é preciso saber sobre Marketing de Conteúdo? Continue a leitura e descubra!

A definição de Marketing de Conteúdo

Nos anos 90, um rápido comercial na TV era o suficiente para chamar a atenção das pessoas e tornar uma marca conhecida pelo público. No entanto, com o advento da internet e a concorrência crescendo a cada instante, muitas empresas perceberam que o perfil do consumidor já não é mais o mesmo.

Anúncios e propagandas não são tão valorizados nos dias de hoje. Isso porque o público atual não deseja ser convencido por uma marca, mas ser encantado por ela.

Como fazer isso? A resposta é simples: traçando estratégias de marketing que estejam focadas no consumidor e não apenas no lucro.

Inbound marketing

Nesse cenário, surge o inbound marketing, uma técnica que tem sido bastante popular, não importa qual seja o nicho ou porte da empresa, e que apresenta uma grande margem de crescimento para os próximos anos. Todo profissional que investe em inbound vai se deparar com o Marketing de Conteúdo, um dos seus principais pilares.

Como ele atua? A partir da criação e distribuição de conteúdos relevantes e de valor, sua empresa atrai potenciais clientes e os estimula a se engajarem com a sua marca. Isso resulta em um melhor relacionamento com o público, promovendo consequentemente sua marca e aumentando as oportunidades de vendas.

Ficou animado? O Marketing de Conteúdo é mesmo uma técnica efetiva e que gera grandes expectativas! Contudo, nessas horas, é bom lembrar que, apesar de todas as suas vantagens, deve-se evitar ser imediatista.

Primeiros resultados

Os resultados tendem a aparecer a longo prazo e não do dia para a noite. Por isso, exige paciência e dedicação.

O segredo é focar na qualidade dos conteúdos, ganhar a confiança do público e fidelizar os clientes. No fim das contas, você perceberá como investir seu tempo nessa estratégia valeu a pena.

Razões para investir em Marketing de Conteúdo

Agora que você já sabe do que se trata o Marketing de Conteúdo, deve estar se perguntando: mas para que serve essa estratégia? Por que eu deveria investir justamente nela? Pensando nisso, a seguir, lhe daremos 6 motivos mais abrangentes e detalhados sobre o que o essa estratégia é capaz:

1. Aumentar a visibilidade da sua marca

Se a sua empresa não investe em Marketing de Conteúdo, uma coisa é certa: ela é invisível aos olhos do público. Marcar presença nos canais de comunicação online onde seu público se encontra — tais como redes sociais e blogs — é imprescindível atualmente. Se seus concorrentes já tiverem chegado a essa conclusão, pode ter certeza de que eles estão a anos-luz na sua frente!

Além disso, não basta apenas criar um blog ou uma fanpage para a sua empresa, fazer várias postagens aleatórias e esperar obter resultados positivos com isso. É preciso levar alguns aspectos em consideração para que o seu site alcance uma boa posição nos motores de busca, como os fatores de rankeamento do Google.

2. Criar um bom relacionamento com os clientes

O Marketing de Conteúdo permite que a sua empresa crie laços com os consumidores, construindo uma relação ao longo de toda a sua jornada de compra. Isso diminui a possibilidade de que eles desistam de um produto ou serviço em algum momento do processo de decisão da compra ou optem pela concorrência.

Outro ponto relevante no Marketing de Conteúdo é que ele não apresenta ações intrusivas e que possam incomodar os consumidores. Afinal, ninguém gosta de ser bombardeado de anúncios nem de ser interrompido por propagandas. Nessa estratégia, é o cliente quem procura a sua empresa e não o contrário.

3. Melhorar a interação com a marca

Você também se transforma em um consumidor em determinados momentos do dia. Nessas horas, provavelmente, você deve preferir se relacionar com marcas que constroem uma relação que vai muito além da compra e que não querem apenas falar de seus produtos e serviços, procurando influenciá-lo a adquiri-los a qualquer custo.

É por esse motivo que o Marketing de Conteúdo visa o engajamento de seus clientes, mostrando que a empresa está aberta a diálogos, dúvidas, críticas e sugestões. Com isso, essa estratégia visa solucionar os problemas do consumidor e oferecer materiais que estejam de acordo com as suas necessidades.

4. Gerar e nutrir leads

Os visitantes que foram atraídos para o seu site e informaram seus dados (como e-mail e telefone) em troca de conteúdos e materiais ricos, ou que entraram em contato com a sua empresa para obter maiores informações acerca de seus produtos ou serviços, chamam-se leads. A geração de leads é fundamental para sua corporação ser bem-sucedida, mas só isso não garante que eles voltarão ao seu site para efetuar compras, nem que se tornarão clientes fiéis.

É por isso que você deve investir na nutrição de leads, isso é, construir e manter uma boa relação com as pessoas que estão interessadas na sua marca, mesmo que elas ainda não estejam no momento exato da compra. Para tanto, é necessário educar o público com conteúdos de qualidade, mostrando que a sua empresa é expert no seu nicho mercadológico e que tem autoridade para tratar do assunto.

Consequentemente, os clientes terão confiança na sua marca e se sentirão mais seguros para realizar compras. Ainda, nutrir leads quer dizer que você continuará tendo contato com o seu público, seja a partir de redes sociais, e-mail marketing ou landing pages. Sendo assim, sempre que eles estiverem prontos para uma compra, eles pensarão em primeiro lugar naquela empresa que se preocupa em manter um bom relacionamento.

5. Trabalhar a experiência pós-venda

Muitas empresas focam no processo de vendas e acabam se esquecendo de um ponto muito importante: a experiência pós-venda. É primordial procurar saber sobre o nível de satisfação do cliente e se há algum problema ou dúvida a ser sanada. Portanto, sua corporação deve contar com um SAC assertivo, atendimento online ou uma central de ajuda.

Isso aumenta as chances desses clientes voltarem a fechar negócio com você e auxilia na sua fidelização. Lembre-se de que grande parte da receita de uma empresa resulta de consumidores recorrentes.

6. Ajudar na criação de propagadores da marca

Quando você cria um bom relacionamento com seu cliente, abre as portas para o marketing boca a boca. Isso mesmo: clientes fiéis podem se tornar propagadores da sua marca!

Se alguém fechou negócio com a sua empresa e ficou muito satisfeito com seu produto ou serviço, possivelmente lhe indicará para o seu círculo social. Além de proporcionar bons feedbacks nos canais de comunicação online. O que é muito importante para a sua reputação e pode aumentar seus lucros.

Isso também vale para aqueles que ainda não chegaram a concluir uma venda, mas são visitantes assíduos do seu site. Por saberem que seu blog, por exemplo, disponibiliza materiais relevantes para suas necessidades, seu público pode compartilhar seus conteúdos com amigos que tenham os mesmos problemas.

Os fundamentos básicos dessa estratégia

Com o Marketing de Conteúdo, sua empresa pode alcançar um lugar ao sol na grande disputa mercadológica pelo sucesso. Mas para isso, é necessário planejamento.

A seguir, mostraremos 8 pontos-chave em que você deve se basear, se quiser conquistar o seu público-alvo e ganhar a sua confiança, convertendo-os em clientes. São eles:

1. Conheça o seu público-alvo

Este é o primeiro passo antes de pensar em qualquer estratégia de Marketing de Conteúdo. O público-alvo é um elemento básico para as suas futuras ações e você precisa conhecê-lo profundamente.

Se você ainda não definiu um tipo de audiência, então deve começar a pensar nisso agora. A partir disso, você poderá criar um comprador ideal, mais conhecido no marketing como buyer persona.

A criação de personas lhe possibilita a segmentação e definição específica do seu público-alvo, por meio da coleta de dados sobre seus gostos, hábitos e profissão, por exemplo. Assim, suas estratégias serão personalizadas e mais bem-sucedidas. Veja como as buyer personas podem auxiliar nas estratégias de marketing:

  • Na linguagem utilizada nos canais de comunicação, como blogs e redes sociais;

  • Na escolha das mídias digitais mais eficazes;

  • No tipo de conteúdo que deve ser produzido;

  • No estilo e formato dos conteúdos;

  • Na escolha das palavras-chave corretas;

  • Na produção de links patrocinados e Facebook ads;

  • Na periodicidade do e-mail marketing;

  • Na inovação do seu negócio, como lançamento de novos produtos e serviços.

Como criar as personas? Realizando entrevistas e pesquisas e, depois, analisando os dados, sem “achismos”. Observe alguns exemplos dos pontos mais relevantes que devem ser levantados:

  • Informações pessoais, como idade, estado civil e profissão;

  • Metas pessoais e profissionais;

  • Aspirações;

  • Hobbies;

  • Desafios pessoais e profissionais;

  • Hábitos de consumo;

  • Formas de adquirir informações.

2. Saiba claramente quais são os seus objetivos

Antes de traçar estratégias de Marketing de Conteúdo, você precisa saber exatamente aonde quer chegar, além de alinhar esses objetivos à buyer persona, ao seu nicho mercadológico e à sua cultura organizacional. No entanto, muitas vezes, isso pode ser mais complexo do que parece, afinal, a sua empresa pode ter vários objetivos a curto e longo prazo e você pode se perder. Para isso não acontecer, lhe mostraremos alguns exemplos que podem servir de norte:

  • Educar o seu público;

  • Gerar leads;

  • Aumentar as vendas;

  • Engajar o público com a marca;

  • Aumentar o reconhecimento da marca, conhecido no marketing como brand awareness;

  • Reduzir o custo por venda;

  • Elevar o número de vezes em que um cliente consome na sua empresa, chamado no marketing de lifetime-value.

3. Mostre autoridade

Posicionar-se como autoridade para os seus clientes é imprescindível para ganhar credibilidade na sua área de atuação. Ao adotar o Marketing de Conteúdo, sua empresa ganhará mais visibilidade.

Então, cabe a você produzir materiais ricos, de qualidade e que agreguem valor às necessidades do seu público-alvo. Quando você apresenta ao público os resultados obtidos por meio dos seus produtos ou serviços, por exemplo, elaborando cases de sucesso, produzindo artigos constantemente e solucionando dúvidas, as chances de satisfação e retenção de clientes aumenta consideravelmente.

4. Seja sutil

Os seus conteúdos devem ter o intuito de informar, responder dúvidas e apresentar soluções ao seu público-alvo, a fim de que ele se torne um consumidor. Por isso, é importante demonstrar interesse pelas necessidades de seus possíveis clientes, em vez de focar na descrição da sua empresa, produtos e serviços oferecidos. A maneira de persuadir, no Marketing de Conteúdo, é bastante sutil: você apenas mostrará ao cliente que sua empresa é qualificada e por que ela deve ser escolhida para sanar seus problemas.

5. Aplique técnicas de SEO

Otimizar o conteúdo utilizando técnicas de SEO é essencial para que ele atinja os primeiros lugares no motor de buscas do Google, ampliando consequentemente, o crescimento orgânico da empresa. Veja abaixo alguns fatores de rankeamento que devem ter sua atenção:

  • Elementos on page: como título, tamanho do conteúdo, URL, meta description, palavras-chave, botões de compartilhamento e linkagens internas;

  • Elementos off page: como linkagens externas, localização e menções nas redes sociais.

6. Conheça o funil de vendas

O funil de vendas é um modelo do processo pelo qual todo consumidor passa até fechar uma compra. A partir dele, as ações de marketing são mais assertivas e você saberá exatamente o que fazer — e o que não fazer — para converter os visitantes do seu site em clientes. O funil de vendas se divide em 3 etapas:

Topo do funil

É o primeiro contato do público com o seu site. Também é conhecido como a etapa da consciência. A partir do conteúdo que seu site oferece, o visitante descobrirá uma necessidade e terá interesse em avançar para a próxima etapa.

Meio do funil

Aqui, o seu visitante foi convertido para lead. Ele já sabe qual é a sua necessidade e procura por uma solução.

Mesmo que a intenção da compra tenha sido despertada, o lead ainda não sabe se fechará negócio. Por isso, ele realiza pesquisas mais aprofundadas sobre a solução oferecida pela sua empresa.

Fundo do funil

Nessa etapa, o lead já se decidiu sobre a melhor solução, só resta fazer comparações entre as empresas e escolher uma opção. Então, o processo é finalizado por meio da realização da compra.

7. Busque automatizar os processos

À medida que sua audiência for aumentando, você precisará contar com softwares que automatizam as estratégias de marketing da sua empresa e otimizam seu tempo. Isso também ajudará o seu time de marketing, caso sua corporação conte com um, a executar tarefas de forma rápida, organizada e eficiente, sem prejudicar o ritmo de publicação de conteúdo. Os principais processos que podem ser automatizados são a nutrição de leads, as vendas de serviços e produtos e o disparo automático de e-mail marketing.

8. Meça os resultados

Por fim, é de extrema importância mensurar os resultados obtidos com as estratégias de Marketing de Conteúdo. Isso possibilita aperfeiçoar algumas ações e evitar outras que não tenham dado bons resultados.

Uma dica é utilizar o Google Analytics como ferramenta de análise — ele é gratuito e possui diversas funcionalidades que lhe podem ser úteis. Escolher as métricas mais significativas para o seu negócio dependem de quais objetivos você definiu. Aqui vão alguns exemplos:

  • Métricas de consumo;

  • Métricas de compartilhamento;

  • Métricas de retenção;

  • Métricas de engajamento;

  • Métricas de leads;

  • Métricas de vendas;

  • Métricas de custos;

  • Métricas de produção;

  • Métricas de ROI.

Os canais de comunicação que podem ser utilizados

Você já sabe o que é Marketing de Conteúdo e em quais fundamentos você deve apoiar suas estratégias. Agora vamos à parte prática: em quais mídias elas podem ser executadas?

1. Blogs

O blog é a principal ferramenta do Marketing de Conteúdo e uma das melhores formas de atração na internet, sendo muitas vezes, considerado como a porta de entrada para futuros clientes. Para contar com conteúdos de qualidade e gerar um bom tráfego, é necessário:

  • Planejar pautas;

  • Publicar periodicamente;

  • Aplicar técnicas de SEO;

  • Diversificar o tipo de conteúdo;

  • Incentivar o engajamento;

  • Utilizar CTAs (Calls-to-Action);

  • Apostar em um bom design;

  • Usar imagens;

  • Revisar os artigos.

2. Redes sociais

As redes sociais são canais multifuncionais e de baixo custo, portanto, ótimas alternativas para as estratégias de Marketing de Conteúdo. Elas funcionam, tanto para atrair o público quanto para criar engajamento e relacionamento entre os consumidores e a empresa.

Muitas vezes, as redes sociais auxiliam até mesmo nas vendas. Para muitos, quando o assunto é consumir conteúdo, elas são a primeira escolha! Por isso, podem render grandes resultados para a sua empresa, contanto que você se atente a alguns pontos:

  • Lembre-se de que há outras redes sociais além do Facebook;

  • Faça postagens fáceis de serem compartilhadas;

  • Use imagens com boa qualidade e disponibilizadas em bancos de imagens;

  • Redes sociais são ambientes mais descontraídos, então o seu conteúdo também pode ser;

  • Cuidado para não dar valor demais ao número de fãs da sua página e se esquecer de que há métricas mais importantes.

3. E-mail marketing

O e-mail marketing, quando utilizado da forma correta, pode ser o elemento-chave para divulgar seu conteúdo, nutrir leads e informar sobre ofertas, promovendo um relacionamento mais pessoal da sua empresa com o público. Eis aqui algumas dicas:

  • Não pague por listas de e-mail;

  • Não exagere na frequência de envios;

  • Seja objetivo e evite e-mails longos;

  • Produza e-mails personalizados com o nome da pessoa que o receberá;

  • Coloque o seu nome no remetente para dar um ar mais pessoal;

  • Coloque um link visível para descadastramento;

  • Utilize um layout otimizado.

4. Vídeos

vídeo marketing tem se popularizado cada vez mais, principalmente quando esse formato é utilizado como review de produtos. Isso reforça a sua credibilidade e, como consequência, aumenta a intenção de compra dos clientes. Para ser bem-sucedido com o vídeo marketing, é preciso:

  • Antes de tudo, elaborar um script;

  • Usar vídeos no seu blog e nas redes sociais para disseminá-lo;

  • Utilizar plataformas como Vimeo, Daily Motion, Wistia e Samba Vídeos, para ir além do Youtube;

  • Não publicar vídeos com baixa qualidade audiovisual;

  • Ser criativo;

  • Evitar vídeos longos.

5. Conteúdos ricos

São tipos de conteúdo mais aprofundados e que agregam valor ao público. Em troca deles, é possível pedir informações importantes para a conversão do lead, tais como telefone e e-mail. A seguir, destacamos alguns materiais ricos, que possivelmente você já conhece, e que podem ser utilizados na sua estratégia:

  • E-books;

  • Webinars;

  • Infográficos;

  • Guias;

  • Cases de sucesso.

Os principais erros de quem investe no Marketing de Conteúdo

É muito comum que empresas que investem em Marketing de Conteúdo, principalmente as iniciantes, desenvolvam estratégias de maneira errônea. Para que você não cometa os mesmos erros e trace ações vencedoras, selecionamos alguns exemplos do que você não pode fazer na sua jornada:

  • Produzir conteúdo apenas sobre a sua empresa;

  • Não ter um bom calendário editorial;

  • Não conhecer sua persona;

  • Focar apenas em um canal específico;

  • Não traçar metas;

  • Produzir conteúdos superficiais;

  • Esperar resultados surgirem da noite para o dia;

  • Não oferecer calls-to-action;

  • Não realizar pesquisas de palavras-chave.

Como você pode perceber, apostar em estratégias de Marketing de Conteúdo é fundamental caso você queira que sua empresa se firme no mercado e gere valor para o seu público-alvo. Esperamos que este artigo tenha lhe ajudado a dar os primeiros passos em direção aos benefícios que essa metodologia é capaz de proporcionar!

Restou alguma dúvida sobre o assunto? Quer nos contar a sua experiência com o Marketing de Conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e até a próxima!

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+