Como criar um blog de sucesso?

Guilherme Harrison
Guilherme Harrison - 5 de Abril de 2017

Investir em estratégias de marketing de conteúdo já é tendência nas empresas que desejam conquistar resultados concretos e duradouros. Afinal, o atual perfil de consumidor demanda presença assídua das marcas no ambiente digital. Nesse contexto, os blogs são ferramentas indispensáveis para gerar leads, aumentar as vendas e engajar o público-alvo, além de tornar possível o sonho de qualquer um que já tenha percebido a eficácia do inbound marketing: alcançar uma boa posição de ranqueamento no Google.

No entanto, apenas ter um blog não é o bastante! De nada adianta dar um nome criativo, disponibilizar conteúdos bem escritos e adotar um template bonito e chamativo, se você não realizar um planejamento eficaz para aumentar o tráfego, conseguir um maior número de compartilhamentos e lucrar com a viralização.

Criar um blog de sucesso demanda dedicação. Se o seu blog ainda não conquistou um lugar ao sol, daremos hoje algumas dicas para você otimizá-lo.

Pronto para oferecer conteúdos vencedores e se destacar na web? Continue a sua leitura!

1. Trace metas

“Criei um blog para minha empresa, mas ele nunca me deu resultados.” Esta é uma realidade comum enfrentada por quem passou direto pelo primeiro passo de qualquer estratégia bem-sucedida: ter um objetivo.

Se você não sabe com qual intuito você criou um blog, isso pode levá-lo ao fracasso. Para dar a volta por cima, questione-se sobre os seguintes pontos:

  • Você gostaria de publicar conteúdos sobre qual assunto?

  • Você domina o tema escolhido? Ele está de acordo com as necessidades do seu público-alvo?

  • O que a concorrência tem publicado a respeito disso? Como você conseguiria se destacar?

  • Está disposto a realizar pesquisas e manter-se atualizado sobre o assunto?

  • Haveria a necessidade de terceirizar esse serviço?

A partir dessas questões, você poderá basear toda a sua estratégia. Desde os conteúdos publicados até a avaliação de resultados, podendo aperfeiçoar o seu blog para que ele se torne mais relevante e original.

2. Leve a rotina do seu blog a sério

Para muitos, manter um blog é apenas um hobby. Porém, se você quiser lucrar com ele, é fundamental levar a produção de conteúdo a sério e manter um fluxo de trabalho, não entregando nem a mais e nem a menos.

Mas como descobrir qual é o fluxo de produção ideal? Isso dependerá do seu público-alvo.

Caso ele seja bastante ativo nas mídias digitais, é necessário produzir mais conteúdo, publicando cerca de um a dois artigos por dia. Entretanto, se o público não for tão ativo, dois ou três artigos por semana podem deixar os seus leads satisfeitos.

Um ponto importante é ser pontual na entrega de conteúdos. Atrasos podem fazer com que os seus leitores se decepcionem e busquem por blogs de outras empresas que possuam um calendário de publicações atualizado e você não quer isso!

Para realizar uma gestão eficiente da produção de conteúdo, você pode criar um calendário editorial. Nele, você incluirá prazos de entrega, datas de publicação, títulos dos artigos, personas para as quais se deve direcionar o conteúdo e nome do responsável pela produção. Caso você trabalhe com uma equipe de marketing digital, é fundamental compartilhar o calendário com todos que estiverem envolvidos no processo.

3. Reutilize conteúdos e torne-os relevantes

Já foram criados vários conteúdos para o blog da sua empresa, mas eles não surtiram efeito e não são bons o suficiente para entrar nas primeiras posições do ranqueamento do Google? Precisa melhorar a qualidade dos seus artigos e fazer com que seu público leia todo o conteúdo até o final? Ainda não sabe o que fazer para otimizar a leitura dos textos publicados? Para aperfeiçoar os conteúdos que já estão no ar com o intuito de reaproveitá-los, você precisará seguir alguns passos:

Identificar as publicações que tenham potencial de crescimento

Para isso, você pode utilizar o Google Analytics ou Google Search Console. Essas ferramentas lhe ajudarão a detectar as palavras-chaves e publicações que estejam ranqueadas nas posições de 8º a 15º lugar. Compare-as às publicações que apresentem maior ranqueamento, tráfego e analise o porquê de apresentarem essa diferença de desempenho.

Revisar o conteúdo

Releia o artigo publicado e identifique os seus pontos fracos. Se for preciso, procure saber como o tema é abordado pelos seus concorrentes.

Também, busque no Google pela palavra-chave utilizada no seu texto e leia os 10 primeiros colocados na pesquisa. Dessa forma, você pode aprimorar o seu artigo a ponto de se sair melhor que a concorrência.

Descobrir os elementos on-page que devem ser melhorados

Alguns elementos básicos, tais como título, meta description, URL, imagens, heading tags e linkagens internas podem ser trabalhados e ajustados. Assim, você atrai mais leads e proporciona uma boa experiência de leitura:

  • palavras-chave: opte por palavras-chave de cauda longa. Use sinônimos e variações da palavra-chave escolhida, em vez de repeti-la durante todo o texto;

  • meta-description: ela pode não ser fator de ranqueamento, mas influencia na decisão do leitor de clicar ou não no seu blog. Sendo assim, ajuste-as para se tornarem mais objetivas e atrativas;

  • título: altere títulos longos para, no máximo, 60 caracteres;

  • qualidade do conteúdo: textos rasos não atraem os leitores, portanto, ofereça o máximo de informações relevantes sobre o assunto, para suprir as demandas do público-alvo;

  • linkagens internas: links internos são importantes para manter o leitor por mais tempo no seu blog. Se em um artigo estiver falando sobre técnicas de SEO, por exemplo, e apenas citar “personas”, linke a palavra para outro texto em que o conceito de persona seja abordado de forma profunda;

  • link building: linkagens externas de qualidade também são importantes para aumentar as chances de conversão e dar credibilidade às informações publicadas.

Republicar o conteúdo

Por fim, republique o conteúdo na página inicial do blog. Isso fará com que o robô de rastreamento do Google revisite a sua página e o artigo otimizado será indexado.

4. Escolha um tema para os artigos

Dependendo do nicho da sua empresa, haverá um leque de possibilidades de assuntos a serem tratados. Contudo, definir um tema para um artigo a ser publicado não se resume a selecionar um assunto de sua preferência.

Lembre-se de que é imprescindível colocar o seu leitor em primeiro lugar. Há alguns pontos fundamentais a serem levados em consideração para escolher um assunto que seja relevante. Tanto para a estratégia de marketing de conteúdo da sua empresa quanto para os leitores do blog. Vamos a eles:

Pensar nas necessidades do seu público-alvo

Primeiramente, coloque-se no lugar dos seus consumidores. Quais são as necessidades e objetivos deles? O que eles desejam consumir?

Essas perguntas só poderão ser respondidas a partir das personas. Para garantir que seus conteúdos serão de interesse das personas, analise quais são os seus hábitos de consumo, suas dificuldades no dia a dia, interesses principais, como elas buscam por informação, qual seu nível de entendimento sobre o nicho da sua empresa e qual a melhor solução para os seus problemas.

Analisar o mercado em que sua empresa atua

Você conhece bem a área em que sua empresa atua? Sabe quais são os assuntos mais discutidos e relevantes no seu ramo?

Para produzir conteúdos de qualidade e que não ficarão mofando no blog, é necessário que a resposta para essas perguntas tenha sido “sim”. Estar sempre por dentro das novidades, conhecer os diferentes termos técnicos e utilizar a linguagem adequada são condições indispensáveis para escolher temas de forma eficiente e usar uma abordagem que seja familiar à persona. Além disso, é necessário mostrar que você tem autoridade para falar sobre o assunto, sem apresentar informações superficiais ou obsoletas.

Alinhar o conteúdo com o funil de vendas

Antes de produzir um conteúdo, é preciso pensar nas diferentes etapas do ciclo de compras do inbound marketing. Explicaremos melhor:

Topo do funil

É nesta fase que o seu público identifica um problema e se interessa em solucioná-lo. Aqui, você deve evitar promover os serviços ou produtos oferecidos e nunca citar o nome de sua empresa de forma direta.

Opte por conteúdos que sejam educativos e de fácil acesso, com linguagem clara, simples e objetiva, além de apresentar informações que despertem o interesse e curiosidade do leitor e atraiam mais visitas. Os CTAs (call-to-action) mais indicados são o comentário no post, linkagem para outro artigo do blog ou compartilhamento do conteúdo nas redes sociais.

Meio do funil

Já no meio do funil, a persona percebe que precisa resolver o seu problema e começa a busca por soluções. O objetivo desta fase é nutrir leads e oferecer materiais para que eles continuem sua jornada e avancem para o próximo estágio do funil.

Por essa razão, deve-se investir em conteúdos que, além de educativos, também sejam persuasivos, completos e informativos, cheios de soluções para as personas, mas ainda sem falar diretamente sobre a empresa. No CTA do artigo, você pode fazer linkagens para e-books e landing pages ou oferecer assinatura de newsletter, por exemplo, e trocá-los por informações sobre os leads, que serão necessárias para o seu negócio.

Fundo do funil

Nesta fase, a persona já tem quase certeza de como solucionará o seu problema, porém, ainda restam algumas dúvidas e, por isso, busca comparar soluções e entender mais a fundo sobre elas. Aposte em conteúdos interessantes que apresentem as vantagens e diferenciais oferecidos pelos serviços, produtos da sua empresa e explique como ela poderá resolver os problemas da persona. No CTA, apresente uma maneira para que a persona faça contato direto com a sua empresa, como testes gratuitos ou contato com consultores.

Equilibrar tipos diferentes de conteúdos

Agora que você já sabe quais são os conteúdos apropriados para cada fase do funil de vendas e para as personas, pode ser que você crie materiais em excesso. Produziu muitos guias técnicos, estudos de casos ou infográficos? Criou muito conteúdo para fundo de funil?

Então, misture tudo de forma harmoniosa! Basta procurar momentos na jornada do consumidor em que se possa integrar esses tipos de conteúdos e utilizá-los para complementar alguma informação que esteja sendo abordada de forma superficial.

Se você prefere evitar que isso aconteça, não se esqueça de criar uma variedade de conteúdos, em vez de focar em apenas um tipo. Tente se aventurar um pouco de vez em quando. Ofereça conteúdos que surpreendam seu público, como vídeos criativos e podcasts.

5. Utilize ferramentas para monitorar o desempenho do blog

Por último, mas não menos importante: configure métricas e meça resultados. Existem várias ferramentas gratuitas que podem lhe auxiliar a monitorar a performance do seu blogpost.

Assim, fica mais fácil produzir conteúdos, tomar decisões, criar estratégias e realizar modificações que visem a melhoria do seu blog. Separamos, a seguir, as melhores ferramentas para você:

Google Analytics

A partir do Google Analytics, você saberá quais são os posts mais lidos do seu blog, como os visitantes chegaram até seu conteúdo, quanto tempo gastaram em cada post visitado e qual é a palavra-chave de entrada.

IceRocket

Ferramenta disponível em mais de 20 línguas e com funções de monitoramento completas. O IceRocket acompanha o seu blog, mostra as principais tendências de palavras-chave usadas dentro da sua busca e permite que você exporte gráficos de resultados, os quais podem ser personalizados por você.

Share Tally

Com o Share Tally, você terá acesso à quantidade de vezes que o seu post foi compartilhado, em quais redes sociais e até em quais ferramentas de leitura. Dependendo da rede social usada para compartilhamento, é exibido um link em que você pode ver todos os detalhes, se a repercussão foi positiva ou negativa e se há algum ajuste a ser feito.

Majestic SEO

Foi projetado para auxiliar nas técnicas de otimização para mecanismos de busca. No entanto, também é uma boa ferramenta de monitoria de blogpost. Pois rastreia onde seu blog está sendo linkado, quais são as palavras utilizadas para a linkagem e quais sites utilizam seu blog como linkagem externa.

Além disso, o Majestic SEO ainda pode ser usado caso você precise comparar outros blogs que sejam parecidos com o seu. Apesar de ser pago, ele possibilita uso gratuito para algumas funções.

Para criar um blog de sucesso, é claro que sempre existirão ações que apresentem resultados melhores do que outras. O importante é não desanimar perante as falhas que podem ocorrer ao longo da sua trajetória no marketing de conteúdo. Afinal, elas sempre poderão ser controladas e corrigidas com o tempo e dedicação.

Como anda a experiência da sua empresa com as mídias digitais? Conte para a gente!

Ainda não tem um blog? Saiba como criar um blog de sucesso do zero com este nosso outro post!